quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

As séries novas que você precisa começar a acompanhar!

,
Muitas séries estrearam e ainda vão estrear nesse começo de ano, então trouxemos algumas dicas de séries que vocês precisam começar a acompanhar o quanto antes. Séries de super-heróis, drama, suspense são alguns exemplos que estão entrando nas grades das emissoras.


Leia também:
+ Livros para a Volta às Aulas
+ Riverdale, vale a pena?
+ Critica O Vendedor de Sonhos


Adicionar legenda
13 Reasons Why
Data de estreia: 31 de Março 2017
Onde: Netflix
Sinopse: Uma caixa de sapatos é enviada para Clay por Hannah, sua amiga e paixão platônica secreta de escola. Clay se surpreende ao ver o remetente, pois Hannah fora recentemente enterrada depois de suicidar. Dentro da caixa, há 13 fitas cassete e instruções para serem passadas entre 13 amigos dos jovens. A gravação de cada fita explica uma razão, envolvendo um dos destinatários, pela soma das quais ela decidiu tirar a própria vida. 










Powerless
Data de estreia: 2 de Fevereiro de 2017
Onde: NBC
Sinopse: Emily Locke começa seu primeiro dia como Diretora de Pesquisa e Desenvolvimento para Wayne Security, uma subsidiária da Wayne Enterprises, especializada em produtos que tornam o mundo mais fácil para a humanidade lidar com os danos colaterais dos Super Heróis e Super Vilões. Cheia de confiança e grande ideias, Emily rapidamente descobre que suas expectativas ultrapassam em muito as de seu novo chefe e colegas de trabalho, o que a leva liderar uma equipe que busca o reconhecimento de que não precisa-se ter superpoderes para ser um herói. 









Big Little Lies
Data de estreia: 19 de Fevereiro 2017
Onde: HBO
Sinopse: Conta a história de três mães que se aproximam quando seus filhos passam a estudar juntos no jardim de infância. Até então, elas levam vidas aparentemente perfeitas, mas os acontecimentos que se desenrolam levam as três a extremos como assassinato e subversão.







Riverdale
Data de estreia: 26 de Janeiro 2017
Onde: The CW
Sinopse: Riverdale traz uma abordagem subversiva de Archie, Betty, Veronica, Jughead Jones, Josie e seus amigos, explorando o surrealismo de uma pequena cidade e seus curiosos habitantes. A história começa quando a cidade se recupera de uma trágica perda, o que leva Archie a pensar mais seriamente a respeito de seu futuro. Com isto, ele embarca em uma jornada em busca de realizar o seu sonho de se tornar um grande músico, mas cumprir essa missão não será nada fácil, enquanto Archie ainda precisa lidar com sua agitada vida amorosa, dividido entre Betty e Veronica. 








Emerald City
Data de estreia: 6 de Janeiro 2017
Onde: NBC
Sinopse: Dorothy Gale nunca poderia imaginar que a vinda de um tornado mudaria sua vida dessa forma. Moradora de uma pequena cidade no Kansas, essa jovem de apenas 20 anos de idade é transportada para a incrível Terra de Oz, onde viverá uma jornada com direito a guerreiros, reinos concorrentes e um infame mágico.







Beyond
Data de estreia: 2 de Janeiro 2017
Onde: Freeform
Sinopse: Um rapaz acorda de um coma de 12 anos e descobre que além de ter o emocional de um adolescente no corpo de um adulto, ganhou poderes sobrenaturais. Alguns de seus amigos e familiares o acompanharam durante o coma, enquanto outros não tiveram tanta força, e ele vai ter que lidar com isso enquanto tenta entender a conspiração que parece se desvelar ao seu redor em decorrência de seus novos poderes.









Read more →

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Livros para a Volta às Aulas

,
Oi amigos, tudo bem com vocês? Como alguns alunos já estão voltando para a escola ou faculdade, resolvi fazer esse post que eu trago dicas de livros que se passam no colégio e afins para já entrarmos no clima! Vi alguns blogueiros fazerem e resolvi fazer a minha própria lista, espero que gostem.


Olho por Olho
------------------------------------------------------------------------------------------------------------



O livro se passa em colégio e tudo que acontece na vida real, acontece no livro, o que dá um pouco mais de realidade para ele. Kat, Mary e Lilia sofrem bullying e planejam pagar com a mesma moeda. Kat sempre bate de frente com seus opressores, enquanto a popular Lilia está sempre obedecendo sua melhor amiga. Mary tinha saído da Ilha Jar por conta de um incidente que lhe ocorreu, mas agora está de volta e quer dar o troco. Muitas pessoas no dia a dia sofrem bullying, são xingados por serem diferentes, etc. Mas uma dica: nunca paguem com a mesma moeda, tenha em mente o que você é e sinta orgulho de ser você mesmo, desta maneira nada vai te afetar. Para conhecer mais sobre o livro, clique aqui e leia a resenha!

Sábado a Noite
------------------------------------------------------------------------------------------------------------


A história é tipica de adolescentes no ensino médio, todos são separados em grupos. Tem os nerds, os populares, os atletas, os valentões e um grupo diferente: os marotos, que são perdedores. Amanda e Daniel se conhecem desde pequenos, mas ela é uma das populares e ele é um Maroto, não pegava bem ela ser vista com ele, então na escola nem trocavam uma palavra com o outro. Tudo começa a mudar quando o diretor do colégio cria os bailes Sábados a Noite e nos bailes surge uma banda misteriosa com mascarados chamada Scotty, com música que derretem o coração das meninas, em especial de Amanda, que começa a ver grandes coincidências de sua vida nelas. Para conhecer mais sobre o livro, clique aqui e leia a resenha!

Seis Coisas Impossíveis
------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Esse livro eu indico por ele ser bem divertido e rápido de ler. Dan vê sua vida virar de ponta cabeça quando seu pai declara falência, separa de sua mãe e se assume gay. Dan teve que sair de sua escola particular porque seu pai não pode mais pagar, Ele e sua mãe não tem para onde ir e acabam indo morar em uma casa que uma tia deixou de herança, mas só podem morar lá até sua mãe morrer. Ela decide abrir um negócio, mas não dá muito certo e, para piorar tudo, Dan está começando em uma nova escola e não conhece ninguém, mas ele tem um pequeno hábito: ele faz listas de coisas que acha ser impossível. Para conhecer mais sobre o livro, clique aqui e leia a resenha!

Meus 15 anos
------------------------------------------------------------------------------------------------------------


O tema central desse livro não é o colégio, ele gira tordo em torno da festa de quinze ano da Bia, mas é ambientado no colégio e eu resolvi escolher ele. Bia está realizando um sonho: vai ter, finalmente, sua super festa de quinze anos. Esse livro me lembra a época em que minhas colegas/amigas estavam fazendo seus quinze anos, quando eu tinha que alugar roupa para ir, assistir a valsa e etc. Também tem aquela história toda do mundo feminino (assim eu imagino hehe) de que uma está planejando sua festa, mas a outra está morrendo de inveja porque provavelmente será melhor que a sua. É uma leitura super deliciosa e rápida, que nos remete à essa época da vida. Para saber mais sobre o livro, clique aqui e leia a resenha.

Série Academia de Vampiros
------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Não é um livro que se passe em uma escola normal, mas como eu gosto muito de Academia de Vampiros resolvi colocar na lista. A história é sobre vampiros, mas bem diferentes dos de hoje em dia. Tem os Moroi, que são vampiros mortais que possuem habilidades incomuns, os dampiros que são metade vampiro e metade humano e são treinados para serem guardiões dos Moroi. E também tem os Strigoi, que são os vampiros -antigos Moroi que mataram para se alimentarem- imortais que precisam de sangue Moroi para prolongar a imortalidade e fortalecer seus poderes. A série tem todo o drama de Lissa e Rose se formarem, mas também todos os dramas vampirescos do mundo de Richelle Mead. Para saber mais sobre a série, clique aqui e leia a resenha do primeiro volume.


                                                                                                                   


Read more →

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

RIVERDALE | Vale a pena?

,

No dia 26 de Janeiro de 2017 estreou a nova série do canal americano The Cw, Riverdale e ela promete várias surpresas, a série é inspirada nos personagens dos quadrinhos da Archie Comics. Em um ambiente sombrio, Riverdale vai além de ser mais um drama romântico teen e é nesse foco que o espectador vai acompanhar a história se desenrolando. 

Vamos acompanhar Archie Andrews (K.J. Apa) no novo ano escolar que começa. A cidade ainda se recupera da morte do aluno de ouro do colégio, Jason Blossom (Trevor Stines), durante as férias escolares, mas nada se parece o mesmo de antes. Enquanto tentam superar, vamos descobrir que a irmã gêmea de Jason, Cheryl Blossom (Madelaine Petcsh), e sua família não são queridos pela cidade e guarda muitos segredos. Mas, durante o verão Archie percebeu que não quer trabalhar com o pai e seguir os mesmos passos, ele quer seguir carreira musical.

Apesar dos eventos do verão, Riverdale recebe uma nova moradora, Veronica Lodge (Camila Mendes) se muda para a cidade com sua mãe, Hermione Lodge (Marisol Nischols) após o pai ser acusado de fraude financeira. Se reinventando como uma nova pessoa, Veronica logo conhece Archie e Betty (Lili Reinhart), que nutre uma paixão pelo amigo em segredo, já ele possui sentimentos por outra pessoa, um romance proibido. A pequena cidade de Riverdale pode parecer tranquila, mas esconde vários segredos e as tensões sociais só aumentam. 



Outro fator interessante na série estreante são os conflitos apresentado nos dois episódios já lançados, como por exemplo de Betty e sua mãe (Mädchen Amick) e de Archie e seu pai (Luke Perry). Além das relações de amizade, como Betty e Archie e Archie e Jughead (Cole Sprouse). Sobretudo, a relação que melhor se desenvolveu nesses dois episódio foi de Betty e Veronica, que promete se desenvolver mais nos próximos episódios. 

Com uma abordagem diferente dos quadrinhos, é mais provável que seja focado no suspense envolvendo Jason e a família Blossom ao invés do triângulo amoroso entre Archie, Betty e Veronica. 

Tendo poucos episódio lançados até o momento, eu gostei do que vi até agora. O ar sombrio dado a série te move a querer saber os mistérios e segredos presentes em Riverdale. A fotografia da série é bem interessante, além da atuação do elenco. A cada episódio, uma reviravolta acontece, fazendo assim que fiquemos ávidos para o próximo. 

Então, respondendo a pergunta do titulo do post, Riverdale vale a pena sim. É claro, como tudo hoje em dia ela tem alguns clichês, mas não chega a incomodar. Mas também ela promete muita coisa nova em se enredo cheio de suspense e mistérios. 

Por enquanto Riverdale já tem dois episódios lançados, indo ao ar todas as sextas-feiras pela CW. No Brasil a serie chega pelo canal Warner no dia 13 de fevereiro as 21h40. 
Read more →

domingo, 11 de dezembro de 2016

CRITICA | O Vendedor de Sonhos

,

Adaptação do livro de Augusto Cury, O Vendedor de Sonhos, estreou nos cinemas na última quinta-feira (8), dirigido por Jayme Monjardim e estrelado pelos atores Dan Stulbach, César Troncoso e Thiago Mendonça. Vamos acompanhar a história de Julio César (Stulbach), um psicologo renomado que está decepcionado com a vida e tenta o suicido, mas é impedido de cometer tal ato por um mendigo, conhecido como Mestre (Troncoso). Uma amizade cresce entre a dupla e passam a tentar salvar pessoas ao apresentar um novo caminho para se viver.


Todos sabem que os livros de Cury seguem uma linha de auto-ajuda, autoconhecimento e principalmente, são reflexivos. Então podemos dizer que o grande protagonista da história são os diálogos entre os personagens, já que é inteiramente estruturados com frases de efeito a todo instante, a prioridade é abrir espaço para que o discurso ganhe destaque. Mas, também podemos citar algumas partes que não se encaixam, que estão ali para preencher tempo de tela.



Um ponto positivo do filme é a fotografia presente que, além de estar impressionante, mostra o contraste do luxo e da pobreza da cidade de São Paulo de um jeito muito bem pensado, tendo um papel importante para impulsionar a narrativa do longa. A trilha sonora também encaixa perfeitamente na história, sendo que em algumas cenas ela apareça para tirar algumas lágrimas dos espectadores.

Em relação ao elenco, podemos dizer que o ator César Troncoso rouba a cena como o Mestre, ele consegue emocionar com a palavras que saem de sua boca, que parecem que é ele quem realmente está dizendo e não um roteiro sendo seguido. Já o personagem de Dan Stulbach não cativa muito quem está assistindo, mas tem sua importância dentro da história, apesar de que depois de tentar suicidar não tenha outra cena grandiosa.

A narrativa da história acontece em duas partes, o passado e o presente. É um filme que se propôs a colocar em imagens o discurso de Augusto Cury. Os discursos do Vendedor de Sonhos com certeza irá tocar o espectador, nos fazendo refletir e pensar nas nossas ações e na vida que cada um leva e é impossível não se identificar. Esse é um filme que faz você sair da sala do cinema querendo ser uma pessoas melhor e querer fazer mais.







Read more →

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Animais Fantásticos e Onde Habitam | Crítica

,
   Olá você aí!!! Hoje vim falar de um assunto sério, como você pode muito bem ver no título do post. SIM! A volta do Universo Mágico de Harry Potter aos cinemas, finalmente!! Nós fomos na pré estreia pela Espaço Z e conferimos em primeira mão o filme que inicia à nova Era. A trilogia que agora virou uma série de cinco filmes, nos apresenta um mundo novo mas que no fundo é muito familiar a quem acompanhou o bruxinho ao longo dos anos. Confira nossa crítica! 


 Newt Scamander é um inglês recém-chegado à Nova York, carregando uma pequena maleta contendo as mais variadas espécies de animais fantásticos. Um excepcional magizoologista, Newt se depara com a comunidade bruxa norte-americana, que se reguarda bastante em relação à exposição aos trouxas (nos Estados Unidos, porém, são chamados de no maj) ainda mais com os crescentes ataques de Grindelwald por toda Europa. 

   Logo quando chega no novo continente, Newt se vê no meio de uma missão: algumas de suas criaturas conseguiu escapar da maleta e andam livremente por Nova York. Ao lado do no maj Jacob e das irmãs bruxas Porpentina e Queenie, Newt sai pela cidade atrás das fantásticas espécies ao mesmo tempo em que o MACUSA (Congresso Mágico dos Estados Unidos da América) tenta apartar o conhecimento trouxa sobre a comunidade mágica.  

   O filme já começa aos moldes de Harry Potter: jornais mágicos de todas as formas noticiando as novidades bruxas, desde os ataques de Grindelwald até a proibição americana de portar animais fantásticos. Os fãs podem sentir o mesmo gostinho que sentíamos até 2011 já na abertura de Animais Fantásticos também, com uma cena digna do Universo Bruxo. E então partimos para conhecer Newt. 

   Um pouco excêntrico, nós já conhecemos Newt do jeito que ele é visto pelos outros (e até mesmo na escola como sabemos depois): ele é um outcast , aquele que não se encaixa muito bem em grupos. Um fato que incomodou na apresentação do personagem foi o suspense bobinho que criaram em volta da maleta, como aquelas cenas que o espectador sabe do 'segredo' do protagonista mas outro personagem não. A cena serviu mesmo pra mostrar a utilidade da mala perante pessoas que não são mágicas, o que poderia ser feito de maneira bem mais elaborada. Algo também que poderiam ter desenvolvido melhor foi toda a situação da maleta no início do filme, em que dois personagens diferentes possuem maletas iguais e acabam trocando por engano. 


   Logo vemos também como a sociedade americana em geral lida com a situação bruxa, algo até então que não víamos em Harry Potter. Pessoas no maj protestando contra a existência bruxa, distribuindo panfletos e até doutrinando crianças a um pensamento anti-bruxo. Esse fato está presente durante quase toda a trama e ainda ajuda a ambientar o espectador em um 'mundo' novo, uma vez que vemos pela primeira vez o impacto bruxo numa sociedade dita como "normal". O núcleo anti-bruxo tem como nome Second Salemers, fazendo referência ao Julgamento das Bruxas de Salem, e é liderado por Mary Lou. 

O filme tem bastante momentos descontraídos, grande parte deles envolvem o no maj Jacob e seu crescente envolvimento com Newt e as irmãs Goldstein e as criaturinhas adoráveis chamadas Pelúcio e Pickett.. O grupo principal corre contra o tempo e todos para encontrar os animais e tem uma cena com uma barata e um bule de chá memorável, dou o mérito pela execução de toda a sequencia. Ao mesmo de todos os feitos cinematográficos, a interação entre os personagens e cada papel que possuem na trama fica evidente também. 


   Os efeitos visuais do filme estão espetaculares, ainda mais na tela IMAX! Desde os feitiços com as varinhas até os visuais das criaturas, o interior da mala de Newt... Tudo feito meticulosamente para puxar o espectador pra dentro da tela mesmo nos momentos em que os efeitos pareciam mal executados. O que mais chama a atenção, no entanto é o aspecto de épico que trouxeram ao filme. Não estamos mais acompanhado adolescentes na escola, mas sim adultos já formados e com carreiras sólidas no Mundo Bruxo. Alguns dos feitiços já não são nem mais pronunciados, talvez por levarem em conta a familiaridade que os fãs possuem ou pra mostrar mesmo a posição social dos personagens. Além de vermos constantemente o uso da aparatação, que só foi propriamente apresentado no sexto filme da série, os personagens já são mais maduros e dominam melhor uso de magia. 

   A trama do filme é toda bem construída, tendo ótimas variações tonais e uma evolução gradativa para seu clímax. O fato de ser a estreia de J. K. Rowling como roteirista é mero acaso, todo mundo sabe que essa mulher escreve muito bem!! Seus personagens são muito bem construídos e a atuação não deixa a desejar: Ezra Miller está um absurdo como Credence, filho adotivo de Mary Lou; Colin Farrell convence muito como Percival Graves, o braço direito do presidente do MACUSA; Katherine Waterston traz um tom sublime, leve e ao mesmo tempo forte para Tina Goldstein. Eddie Redmayne interpreta um Newt meio fechado com o coração grande. 


   Animais Fantásticos ainda entrega diversas referências ao Universo Harry Potter, como uma breve citação da escola de magia americana Ilvermorny, o próprio Newt diz muito sobre Hogwarts. Além de Grindelwald, outro personagem bastante conhecido é citado: Alvo Dumbledore aparece como um defensor e admirador de Newt em Hogwarts numa fala de Graves.

   Poderia fazer um post gigantesco só sobre o filme, mas já não sei mais sobre o que dizer sem entrar nas emoções. Posso, no entanto, confirmar com todas as letras que Animais Fantásticos e Onde Habitam retorna, sim, com todos os sentimentos de quem é fã e acompanhou a saga de Harry Potter ao longo dos anos. Emociona, diverte, faz o espectador ter um pouco de nostalgia... E tudo vale a pena de novo, sem tirar nem por! ASSISTAM QUANTAS VEZES O DINHEIRO DEIXAR

***esse post também se encontra no site FITA K7, no qual também escrevo posts***


Read more →

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Como eu era antes de você - de Jojo Moyes

,






FICHA TÉCNICA:
Título: Como eu era antes de você
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
ISBN: 978-85-805-7329-9
Edição:
Número de páginas: 320
Ano:2013







Louisa Clark tem 26 anos leva uma vida comum e não possui muitas ambições. Ela mora em uma pequena casa com seus pais, sua irmã Katrina, seu sobrinho pequeno e seu avô, que precisa de cuidados redobrados depois de ter sofrido um derrame. Há sete anos ela mantem um relacionamento com Patrick, um triatleta que aparentemente só tem olhos para o esporte e para sua carreira do que para ela. Lou trabalha em um café há vários anos e adora o que faz, sabe que precisa do dinheiro para ajudar no sustento da família, mas seu chefe, Frank, resolve fechar o estabelecimento e por consequência Louisa perde o emprego que teve por tanto tempo.

Com Lou desempregada, sua família começa a ficar preocupada de que seu pai também perca o emprego, por conta da recessão na Inglaterra. Louisa precisa achar outro emprego, e urgente, mas sua falta de formação de anos trabalhando no café não favorecem na sua experiência profissional. Até que uma oportunidade aparece, uma entrevista de emprego como cuidadora de um deficiente. O salário alto e um contrato de apenas seis meses chamou sua atenção, mesmo sabendo que não leva jeito para essa área.

"Ninguém quer saber que ás vezes me sinto claustrofóbico estando nesta cadeira que tenho vontade de gritar feito louco só de pensar em passar mas um dia assim."

Louisa imaginou que o trabalho seria cuidar de um senhor de idade que precisa de cuidados, mas acaba descobrindo que iria trabalhar para Will Traynor, um homem de 35 anos bonito, bem sucedido e inteligente. E bem mal humorado. Antes de seu acidente, Will era um jovem bem ativo, viajava pelo mundo por conta de seu trabalho, praticava vários esportes e tinha muitas mulheres a seus pés. Mas o acidente o deixa em uma cadeira de rodas com os movimentos do corpo bem limitados. Contrario de tudo o que era.

Ele não vê mais sentido em viver daquele jeito, dependendo de todos para fazer qualquer coisa, sem poder fazer nada por sua própria conta e faz questão e mostrar sua infelicidade e sua dor em viver com as várias limitações. Mas com a chegada de Louisa, Will não esperava que sua vida iria mudar. Em apenas seis meses, a vida desses dois jovens iria mudar e eles não esperavam por isso. Lou irá tentar de tudo que está ao seu alcance para mostrar a Will que sua vida vale a pena, que sua vida pode melhorar. E ele fará o mesmo por ela.

"Não consegui ver sua boca, mas seus olhos se apertaram, um pouco divertidos. Eu queria que continuassem assim. Queria que ele fosse feliz, que seu rosto perdesse aquele ar assustado e alerta. Comecei a tagarelar. Contei piadas. Cantarolei baixinho. Fiz de tudo para estender o momento antes que ele voltasse a ser sombrio." 


Eu não tinha lido nada da autora até então e me surpreendi. Fiquei receoso de não gostar da obra antes de iniciar a leitura por sempre ouvir vários elogios positivos sobre o livro, mas eu gostei bastante do enredo. Um enredo que consegue emocionar o leitor, que o faz refletir em diversos momentos da história, que mostra as limitações e as dores pelo qual um tetraplégico tem que passar de uma forma bem clara, fácil do leitor compreender.

Eu adorei a personalidade de Louisa, com seu jeito divertido, excêntrico, único e despreocupado. Jojo consegue nos mostrar de forma clara o amadurecimento pelo qual Lou passa durante o livro. Em algumas passagens eu me pegava dando algumas gargalhadas por conta de nossa protagonista. Em um primeiro momento eu não gostei muito de Will, inteligente mas rabugento, deprimido e infeliz, que faz questão de irradiar sua tristeza e infelicidade para todos. Eu gostei muito como a amizade dos dois começou com o pé esquerdo, ele fazendo de tudo para irritá-la e a tirar do sério e ela sempre irradiando alegria e felicidade para  ambiente, mas aos poucos com a convivência do dia a dia eles começaram a se entender e formar uma bela amizade.    

Em relação aos outros personagens, eu posso dizer que não gostei muito da família de Louisa. Não achei justo os pais deixarem para ela a preocupação de ter que sustentar a família, o pai ajudava um pouco, mas a maior parte vinha de Lou. A irmã, Katrina, é bem egoísta, "roubando" o quarto da irmã e a obrigando a ficar em um quartinho bem apertado e partindo para a faculdade e deixando ainda mais obrigações em cima do ombro de Louisa. Com essas atitudes da família, para mim, consequentemente acabou fazendo com que a protagonista não tivesse ambições nenhuma e sempre com a preocupação de ser o principal sustento da família.

Will pretende ajudar Louisa enxergar que está deixando a vida passar, deixando de fazer diversas coisas para aproveitá-la e que ela precisa ampliar seus horizontes, que ela cresça e mude. Esse também é o papel dela, de fazê-lo enxergar o sentido na vida novamente, de fazê-lo enxergar que ele pode ser feliz com a limitações de ser um tetraplégico, que a vida dele vale a pena. E juntos, eles vão descobrir o amor de uma forma bonita e sutil, além do que o destino reserva para eles.

Apesar de ter achado a história bonita, ela também traz um assunto polêmico. Muitos tetraplégicos acham a razão de viver feliz e bem com as limitações, outros não. E esse é o caso de Will. Ele não se sente feliz, não é alegre com a vida que tem após o acidente. Ninguém deveria julgá-lo, ninguém está sentindo o que ele está, ninguém pode lhe dizer que ele deve seguir em frente, que ele pode ser feliz, que ele pode encontrar a razão de continuar vivendo, mesmo estando sujeito a pneumonias bem fortes, dores que o fazem sofrer e o corpo que não o responde mais, com poucos movimentos que consegue realizar sem ajuda de ninguém. Eu o entendo e concordo com o discurso de que toda vida vale a pena, mas se alguém não vê sentindo em viver mais, ainda mais na condição de Will, que sabe que nunca mais vai se recuperar, não acho justo o criticarem ou ficarem revoltadas por ele tentar se matar, qual o sentido de continuar vivendo, mas não conseguir viver? De ser infeliz, mas vivo?  Quem está sendo o verdadeiro egoísta, nós ou ele?

Jojo consegue fazer com que enxerguemos o outro lado da mesma moeda, o de Lou. Que quer acreditar com todas as forças de que Will consegue sair dessa, que a vida dele vale a pena, acredita que ele tem os recursos necessários para ter uma vida melhor. Mas ela sabe que não tem cura, mas está disposta a mostrar a Will que mesmo assim ele pode sair e viajar o mundo, que ele pode aproveitar passeios e principalmente, acredita que ele pode voltar a ser feliz, que pode voltar a querer viver. Louisa quer mostrar a Will que ele pode ser feliz novamente, mas Will tem o mesmo objetivo: de mostrar a Lou como aproveitar a vida e não perder oportunidades.

Uma história de amor que nos faz refletir, que faz com que nos coloquemos na situação de Will. Uma história de coragem, de recomeços e fazer a vida valer a pena. E principalmente, uma história que fala de dor e enfrentar as dificuldades. Um livro divertido, reflexivo e com uma história linda, não sei porque eu esperei tanto para ler e recomendo que todos que não conhecem ainda, leiam, vocês não vão se arrepender. Leitura recomendada.

E se ainda não viu, clique aqui para conferir nossa critica sobre o filme "Como eu era antes de você", a adaptação do livro que estreou em Junho de 2016.


Avaliação:





Até a próxima,


Read more →

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

CRITICA | O Lar das Crianças Peculiares

,

Adaptação da obra de Rason Riggs, O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, estreia nos cinemas nesta quinta-feira, (29) dirigido pelo aclamado diretor Tim Burton. Seguindo o mesmo enredo do livro, o longa acompanha Jacob Portman (Asa Butterfield), um garoto comum que passou sua infância ouvindo as incríveis histórias de seu avô Abe Portman (Terence Stamp) sobre monstros o perseguindo, o orfanato em que viveu ao lado de crianças que eram especiais, peculiares. Após presenciar a morte de seu avô de uma forma misteriosa e incomum, Jake entra no mundo de Abe e parte para o lugar que fez parte de sua infância, O Lar das Crianças Peculiares para descobrir mais sobre o misterioso avô. Vivem lá, Emma (Ella Purnell), Alma Peregrine (Eva Green), Claire (Rafiella Chapman) e outras crianças que possuem habilidades especiais. ou peculiaridades, de acordo com a nomenclatura que Riggs gosta de dar.

É claro que como em toda adaptação mudanças irão acontecer, prática bem comum no universo cinematográfico atual (assim como adaptar livros para as telonas). São comuns, desde que não prejudiquem ou afetem a base do enredo. Nesse caso, apesar de algumas não mexerem com o funcionamento do filme outras já prejudicam todo o enredo de O Lar das Crianças Peculiares. Podemos tirar como exemplo o vilão Barron vivido por Samuel L. Jackson, prejudicado pelo roteiro que o deixou menos interessante, perdendo consistência durante o longa e se tornando um vilão menos grandioso, ao contrário do que prometia.


De início tudo é apresentado ao espectador de forma apressada, e em certos momentos fica confuso e algumas cenas não se encaixam. A pressa por levar o longa para pontos importantes e mais interessantes prejudicou alguns dos relacionamentos, que seriam essenciais para o enredo, deixando-os rasos, muitas vezes sem sentido e sem importância. Tirando como exemplo o relacionamento de Jake e Abe, que no livro é a isca para nos puxar por todo o universo dos peculiares enquanto no filme essa essência foi retirada.

Um fato positivo do filme são os figurinos, que remetem bem à época em que é ambientada no filme. principalmente o da Srta. Peregrine que lembra uma ave, lembrando sua peculiaridade.

Ao mesmo tempo que as cenas com as crianças conseguem cativar o espectador, as que envolvem os vilões deixam a desejar, com atitudes muitas vezes rasas e menos interessantes. As lutas começam de uma forma excelente, mas vão perdendo o sentido e não convence com as sequências que foram apresentadas anteriormente; como por exemplo: um dos monstros consegue quebrar uma parede inteira e depois não consegue passar por uma porta de madeira.

Apesar de sequências sem sentido e personagens traídos pelo roteiro, o longa ficou fiel à história original, as mudanças feitas não afetaram muito a fidelidade no filme apresentado. A trilha sonora também facilita para quem assiste entrar no clima da história. O Lar das Crianças Peculiares tinha um grande potencial, mas por possuir vilões fracos e rasos deixou a desejar. O filme em si não é ruim e nem de todo o mal, mas em comparação ao livro poderia ser melhor. Até em comparação com ele mesmo, se os vilões tivessem atitudes melhores e o início um pouco menos apressado, poderia prender mais o espectador. É um filme bom para os fãs de Tim Burton, mas os amantes da obra e aqueles que leram o livro ficarão decepcionados ou estranhar os vilões do longa. Vale dar uma chance para conferir.

No dia 29, quinta-feira, o filme entrará em cartaz nos principais cinemas de todo o Brasil.





Read more →